sábado, 9 de março de 2013

Contos de fadas: As Doze Princesas Bailarinas


O post de hoje é mais uma dica de maravilhosa leitura em parceria com recursos teatrais que podem transformar sua hora do conto em narrativa aberta, artes cênicas e tantas outras delícias pra lá de educativas.
A sugestão de leitura é o encantador livro dos Irmãos Grimm “Contos de Fadas”. Sem figuras, sem cortes, esta obra reúne os clássicos de fadas que com o passar dos séculos acabou engolido pelas apelações consumistas, representados precariamente por bonecas caras, filmes bobos que equivocadamente resumem e “adaptam” os contos com uma parafernalha tóxica, acreditando ser este tipo de atrativo que conquista nossos pequeninos. Oferecendo tudo pronto não estimulamos os leitores a pensar, a dialogar com o autor, a abrir a narrativa e sentir-se pertencido nesta viagem.
Duras e críticas palavras, mas desafiadoras para pais e educadores que desejam embarcar nesta aventura de recursos mágicos (e nada caros) que contam, cantam e encantam há séculos!
Obra recomendada. 

Você vai precisar:
Ler os contos, se apaixonar primeiro e usar sua criatividade junto com seus alunos.
Tecidos: Retalhos, muitos retalhos! Aproveitamentos, ou seja, se nãos os tiver em casa saia procurando doações. Convide seus filhos ou alunos.
Vale papel mache, valem cacarecos, máscaras, tecidos soltos... Não precisa ser fiel a cada detalhe esperando que o “perfeito” expressa melhor o conto. Nada disso. A imaginação do leitor extrapola qualquer figurino. A atribuição de significados é totalmente subjetiva. Este é o barato da coisa.

Observem este espetáculo:
Muito amor em As Doze Princesas Bailarinas!

A magia dos bonecos de tecidos não se comparam a pobreza das bonecas plastificadas de multimarcas.

Delícia de bonecas que não machucam, que podem ser compartilhadas e emprestadas para outras turmas, levadas para casa em projetos de leituras. Descosturou? A gente costura novamente. Podemos aproveitar materiais baratos ou de custo zero.
E tem mais: Não precisa achar que "temqueser" boneca. Um pedaço de pano apenas vira princesa, ou sapo, ou bruxa, ou...

Gongado:
Este tipo de desenho propaga um consumo desigual.


Rolinhos de papel higiênico, carreteis de linhas, potinhos de tintas plásticas, novelos de lã... Todo material que estiver ao seu alcance pode se transformar em fantásticos bonecos cênicos. Não percam de vista as possibilidades. Deixe o E.V.A e os fantoches industrializados de lado.


Kiara Terra é uma linda que conta e encanta:

Beijos e boa história!

by: Renata

Imagens: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Dê seu pitaco, publique sua dúvida e sugestões!