sábado, 21 de abril de 2012

Como nasce um blog pedagógico?


 Senhoras e Senhores! O espetáculo pode ser na sala de aula!

Acredito que a "mágica" de ser professor esteja na eterna insatisfação, na constante busca por mais e melhor.
Sabemos que "fórmulas prontas" nem sempre resolvem. Podem até "apagar um fogo", tapar um buraco momentâneo... Mas o "ser" professor de verdade vai muito além de colecionar cacarecos e manuais de "como fazer".
Hoje em dia existem milhões de cursos, oficinas, revistas com ideias (empobrecidas ou não), mini cursos...
Acho tudo válido, desde que feito com aproveitamento, não apenas "fazer por fazer". 
O que complica é nosso tempo livre para tais atividades. 
Mesmo "pescar ideias" na internet não é tarefa tão fácil assim. Até para pesquisar e obter resultados satisfatórios dentro daquela necessidade específica pede alguns truques, macetes, certa habilidade nas terminologias, palavras-chave...
Tenho muitas paixões dentro do meu ofício de professora pedagoga. 
Quem me conhece de pertinho sabe o quanto amo desenhar, artes plásticas, costura criativa e a maior de todas as paixões que justifica essa parafernália artística toda: contar histórias!
Não importa a faixa etária! É unânime o prazer em ouvir histórias. Quem não se encanta?
Contando histórias a alfabetização flui muito melhor, afinal o protagonista é o livro.
 O motivo de criar este blog parte dos pedidos de amigas e colegas de trabalho para compartilhar dicas e ideias de aulas criativas. 
Para mim o mais importante neste processo todo é o de SE descobrir neste maravilhoso mundo da leitura.
A angústia por sede de conhecimento não é negativa. Pelo contrário: remar CONTRA a maré trás mais frutos do que remar a favor. Como?
Você docente já se questionou do porque de tanta teoria na faculdade? De por que tanta história da educação?
Pensa comigo. Como transformar a realidade sem conhecer a origem dela? 
Como interpretar um artigo confiando apenas nas suas referências sem checar direto NAS referências?
O clássico ganha essa terminologia porque não cai de moda nunca. É o que de melhor foi criado e por isso mereceu permanecer entre nós.
O contemporâneo é filho do clássico. Não estou criticando diretamente as adaptações. Mas imagine uma escultura feita por Michelângelo, se ano após ano ela fosse lixada um pouquinho por vez, como estaria agora em pleno século XXI? Uma bala chupada?
Nossos queridos alunos de todas as idades (os meus estão entre quatro a cinco aninhos) merecem o melhor. Oferecer-lhes a oportunidade de ter contato, por meio da hora do conto, com livros clássicos é questão de cidadania. Afinal, estaremos ofertando "o melhor" a eles.
E neste caminhar, obras contemporâneas também serão bem-vindas sim senhor! Novos olhares se abrem, novos olhares se ensinam... O professor pode e deve mediar essas incríveis descobertas.
E então, prontos (as) para esta viagem?
Quero aqui neste cantinho pedagógico compartilhar com vocês experiências bacanas, dicas de livros, recursos audiovisuais (CD/DVD), músicas, projetos, de tudo um pouco, de tudo o que me alimenta para planejar, criar, transformar, cutucar...
Não pensem que será mais um blog com atividades para imprimir, passo a passo copiado de revista. Não.
Aqui trocaremos ideias, dúvidas, experiências... Até pretendo compartilhar dicas de revistas, mas passarei a vocês a fonte. O passo a passo fica por conta da revista ok?
Existem outros blogs verdadeiramente ricos que pretendo linkar, mas que fique claro: São poucos.
Acredito que tudo que é demasiado sufoca e não é produtivo. Já caí nessa de ficar colecionando revistinhas, salvando nos favoritos um zilhão de imagens só para entupir a memória do pc e nada de produção. Excesso de informação atrapalha. Vamos caminhando pouco a pouco... Com olhar crítico, peneirando e guardando conhecimento.
Não percam o próximo post! Folclore brasileiro é riqueza para o ano todo!

Renata Suzue Ogata

Imagem: Reprodução Histórias de uma Mala Só/Porto Alegre em Cena

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Dê seu pitaco, publique sua dúvida e sugestões!